Juíza de Jaraguá condena réus presos pelo GENARC de Goianésia

By
Updated: novembro 1, 2017

No último dia 18 de outubro, a juíza Nina Sá Araújo, da 2ª Vara Cível, Criminal, das Fazendas Públicas e de Registros Públicos e Ambiental da Comarca de Jaraguá, Goiás, proferiu sentença, após processo regular, condenando os réus Josimar Alves Medina, vulgo “Branco” e Wanderson Honorato da Silva, vulgo “Neném”, e, ou “Zoi”, envolvidos em tráfico intermunicipal de entorpecentes, conforme a Lei 11.343/06, em seus Artigos 33, Caput, e 35, a doze (12) anos, três (03) meses e quinze (15) dias de reclusão, e quinze (15) anos e seis (06) meses de reclusão, respectivamente. Ambos no regime fechado, mais pagamento de multa.

Consta do processo criminal que, policiais civis, integrantes do Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (GENARC) de Goianésia, na noite do dia 20/06/2016, deflagraram a Operação Minha Cela, Meu Escritório do Crime  fase II, culminando na prisão em flagrante do réu Josimar Alves Medina, vulgo “Branco”, quando este, em posse de quase 50 quilos de maconha, se preparava para entregar o entorpecente a outro membro da organização criminosa – que conseguiu escapar , comandada pelo réu Wanderson Honorato da Silva, vulgo “Neném”, e, ou “Zoi”, que já se encontrava “preso” no Unidade Prisional de Jaraguá ( presídio) , de onde, se utilizando de aparelho celular, ordenava toda ação criminosa, sendo que seus tentáculos, alcançavam diversos municípios goianos.

Passagens

Josimar Alves Medina, se encontrava em liberdade, respondendo pelo crime de tráfico de drogas, na Comarca de Uruaçu, Goiás, desde o ano de 2012. Sendo que, enquanto aguardava a realização de uma audiência, marcada para acontecer em 21/02/2018, naquele município, o mesmo continuava traficando drogas, “até”, ser preso novamente.

Audácia

Wanderson Honorato da Silva, mesmo estando preso é flagrado com drogas, arma e munições , e, possuidor de três condenações criminais  recorrendo de todas, só na Comarca de Jaraguá, de forma ousada, desafiando todo o sistema judicial/policial/ prisional, continua trilhando no submundo do crime, transformando sua cela, num verdadeiro escritório do crime  sendo a terceira vez que o mesmo é preso e processado, cometendo crimes de dentro da cadeia. Wanderson Honorato da Silva responde processos criminais nas Comarcas de Aparecida de Goiânia, Jaraguá, Goianésia, Porangatu, e ainda, responde por vários atos infracionais, na Comarca de Minaçu.

Fonte: Route News